Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Governo do PA diz que vai instalar 720 leitos para pacientes com coronavírus

Segundo o Governo, 420 serão em Belém, 120 em Marabá, 120 em Santarém e 60 em Breves, no Marajó. Hospitais serão destinados a casos leves.

 
 -   /
/ /

O Governo do Pará anuncia que vai instalar 720 leitos em hospitais de campanha para atender pacientes com coronavírus (Covid-19) de baixa complexidade. O anúncio foi feito pelo governador Helder Barbalho na noite desta terça-feira (24), durante pronunciamento no Palácio do Governo.

A medida visa liberar espaço nos hospitais regionais que tenham disponibilidade para receber pacientes com casos mais graves do Covid-19. Até a construção dos hospitais de campanha, o estado possui apenas 23 leitos destinados a tratar pacientes em estado grave da doença, segundo o governo.

O Pará possui cinco casos confirmados, 241 casos estão descartados e 154 casos em análise, segundo boletim divulgado às 20h desta terça.

Dos 720 leitos, 420 serão implementados no Hangar Centro de Convenções, em Belém. Outros 120 leitos serão instalados no Centro de Convenções de Marabá; mais 120 leitos no estádio Colosso do Tapajós, em Santarém; e mais 60 leitos em Breves, no Marajó.

"Os quatro hospitais de campanha serão erguidos simultaneamente. O hospital do Hangar vai atender a região metropolitana, baixo Tocantins, nordeste do estado e parte do Marajó. O de Marabá vai atender sul e sudeste. O de Santarém atende o oeste do estado, baixo Amazonas e calha norte. Já o de Breves atende as cidades do Marajó restantes", explicou Helder.

Segundo Helder, todos os hospitais de campanha devem ficar prontos em 20 dias e devem funcionar no período de 120 dias. As obras devem começar na próxima segunda-feira (30).

"Contratamos a mesma empresa que construiu os hospitais de campanha em São Paulo. Queremos uma empresa com experiência e expertise, não queremos aventureiros que prometem, mas não cumprem o prazo. As carretas estão saindo de lá na sexta. Deveremos começar as obras na segunda", disse Barbalho.

Carga de hidroxicloroquina

Base de hidroxicloroquina — Foto: Reprodução TV Globo Base de hidroxicloroquina — Foto: Reprodução TV Globo

Base de hidroxicloroquina — Foto: Reprodução TV Globo

O governo também anunciou a compra de 15 mil tratamentos de hidroxicloriquina e azitromicina, para serem usados em casos mais graves de Covid-19 no estado. As substâncias foram indicadas por pesquisas como alternativas ao tratamento do novo coronavírus. No entanto, não há nenhuma comprovação sobre o benefício da substância no tratamento do novo vírus. A substância segue em fase de testes.

A Secretaria de Saúde do Pará (Sespa) informou que o medicamento só deve ser utilizado em casos graves da doença. Pacientes com sintomas de gripe não devem armazenar o medicamento em casa. Eles devem ser devolvidos as farmácias e aos sistema público de saúde.

Compra de novos testes

Laboratórios fazem testes do coronavírus — Foto: Divulgação/Ministério da Agricultura Laboratórios fazem testes do coronavírus — Foto: Divulgação/Ministério da Agricultura

Laboratórios fazem testes do coronavírus — Foto: Divulgação/Ministério da Agricultura

Durante a coletiva, o governo também anunciou que vai ampliar o número de testes do novo coronavírus realizados diariamente no Laboratório Central (Lacen). De acordo com Helder, na próxima sexta (27) o estado vai receber técnicos do Ministério da Saúde para validar a chegada de novos equipamentos, que permitem a realização de 120 exames por dia.

"A chegada desses testes faz com que, até metade da semana que vem, possamos zerar os casos em análise. Além disso, os técnicos do Lacen estiveram hoje na UFPA e vamos começar a usar os equipamentos da universidade para os testes", explicou.

Pedido de equipamentos da China

Anúncio de pedido de apoio á China foi divulgado via rede social pelo governador Helder Barbalho — Foto: Reprodução/Twitter Anúncio de pedido de apoio á China foi divulgado via rede social pelo governador Helder Barbalho — Foto: Reprodução/Twitter

Anúncio de pedido de apoio á China foi divulgado via rede social pelo governador Helder Barbalho — Foto: Reprodução/Twitter

Em relação ao pedido de apoio ao governo chinês para a compra de materiais médicos, Helder disse que o Estado segue em diálogo com a China. No último sábado (21), Barbalho enviou um ofício ao embaixador da China no Brasil solicitando a aquisição de materiais médicos, sanitários, além de itens como respiradores, testes rápidos e leitos de UTI com seus insumos.

"Tivemos a resposta, e o governo chinês acusou a recepção do ofício, sobre a necessidades de equipamentos médicos. Estamos coordenando com o Itamaraty. Precisamos ainda indicar as quantidades de máscaras e equipamentos de saúde. Ate sexta, a China terá condição de dizer o quanto vai colaborar", comentou o governador.

Apesar disso, o Governo já anunciou a compra de 400 respiradores da China.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE