Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Médicos recebem capacitação com infectologistas do SUS sobre Covid-19, em Santarém

Mesmo sem casos confirmados no município, médicos da rede de Atenção Básica participam de capacitação no auditório da Universidade do Estado do Pará UEPA .

 
 -   /
/ /

Na manhã desta sexta-feira (20), médicos da rede de Atenção Básica de Santarém, oeste do Pará, participaram de uma capacitação sobre a Covid-19, com médicos infectologistas que auxiliam o Sistema Único de Saúde (SUS). No total, 22 médicos participaram da capacitação no auditório da Universidade do Estado do Pará (Uepa).

Sem nem um caso confirmado do coronavírus no município até esta sexta-feira (20), a Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), segue os protocolos de capacitação com os médicos da rede de Atenção básica para os casos suspeitos da doença.

Segundo a diretora do 9º Centro Regional da Secretaria de Saúde do Estado do Pará (Sespa), Marcela Tolentino, os casos suspeitos da doença estão sendo monitorados.

A secretária de Saúde, Dayane Lima disse que todos são importantes para o bom andamento do fluxo de atendimento da rede da atenção básica, mas quem faz a parte de avaliação clínica é o profissional médico e com informações de quem lida diretamente com os casos suspeitos, dará melhor direcionamento para cada paciente que necessita da avaliação. "É importante saber qual o melhor procedimento que deve ser adotado, quais os cuidados com o paciente”, disse Dayane.Segundo a coordenadora do Programa Mais Médicos na Semsa, Kellen Patricia, todos os médicos que trabalham na atenção básica estão bem orientados quanto ao fluxo para esse tipo de atendimento.

“Esses profissionais são generalistas, e estão distribuídos nas áreas urbana, rios e planalto. São 22 médicos que estão se dedicando para o enfrentamento dessa pandemia”, ressaltou Kellen.

A médica infectologista, Mariana Quiroga falou da importância de conhecer os protocolos de higiene para manuseio e retirada da máscara, para que não haja contaminação.

“O profissional tem que ter medidas de precaução, até mesmo na hora da retirada da máscara para que não aconteça a contaminação das mãos e, consequentemente, contaminando olhos, nariz e boca favorecendo a transmissão. Então, tem que ficar atento à retirada da máscara”, disse.

Álisson dos Santos Brandão e João Guilherme Pontes, médicos infectologistas do SUS, durante a capacitação esclareceram dúvidas tanto para os profissionais da área quanto para a população, por exemplo, para onde encaminhar os pacientes, quais unidades e hospital, e o uso correto de Equipamentos de Proteção Individual (EPI).

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE