Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Rússia pede ao Canadá informações sobre nazista de 95 anos

Helmut Oberlander, 95, obteve cidadania canadense em 1960 e perdeu o título em 2019, quando se soube que ele fez parte de um esquadrão da morte nazista que atuou na Rússia.

 

A Rússia pediu, nesta sexta-feira (14), informações sobre um homem de 95 anos, acusado de ter sido nazista e cometido crimes durante a Segunda Guerra e que obteve cidadania do Canadá em 1960.

Os russos acreditam que ele pertenceu a um esquadrão da morte de nazistas que é acusado de ter cometido um massacre em um orfanato soviético em 1942.

Helmut Oberlander nasceu na Ucrânia e se tornou um cidadão alemão durante a Segunda Guerra. Em 1960, ele conseguiu obter cidadania canadense –ele perdeu esse título em dezembro de 2019, quando a Suprema Corte decidiu puni-lo pelas suas atividades durante a guerra.

Um comitê de investigação russo responsável por crimes sérios disse que queria os documentos sobre Oberlander e que está averiguando seu possível envolvimento em um massacre em um orfanato na cidade de Yeysk.

Em uma declaração, o comitê disse que um esquadrão da morte atuou em uma região no sul da Rússia. Eles empregavam câmaras de gás portáteis e atuaram entre 1942 e 1943.

Oberlander, inicialmente, foi o tradutor para os nazistas, mas depois serviu como soldado, de acordo com documentos apresentados em uma corte em 2018.

Ele disse que foi forçado a integrar um esquadrão de morte aos 17 anos, mas que não participou ativamente de nenhuma atrocidade.

O comitê de investigação disse, em outubro de 2019, que abriu um inquérito sobre a suspeita de genocídio –em 1943, os nazistas foram expulsos da região do sul da Rússia, e foram encontrados os corpos de 214 crianças.

Diversos intérpretes e membros do esquadrão foram presos e condenados nos anos 1940 e 1960.

No entanto, segundo os canadenses, Oberlander conseguiu escapar de um processo criminal ao se esconder das autoridades após a capitulação da Alemanha, em 1945.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE