Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Monte Cristo quer nova chance para implantar sistema de transporte público em Santarém até abril

Prefeitura já pediu à Justiça que cancele o acordo firmado com a empresa em novembro de 2019.

 
 -   /
/ /

Em coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira (13), em um hotel em Santarém, oeste do Pará, o proprietário da empresa Monte Cristo Transporte, João Batista anunciou que pedirá à Justiça uma nova chance para colocar em operação o novo sistema do transporte público no município até abril deste ano.

A Prefeitura já pediu à Justiça que cancele o acordo firmado em novembro de 2019 pelo município com a Monte Cristo, e assim seja rescindido o contrato de concessão do transporte público porque a empresa não comprovou a compra de 110 ônibus elétricos da China, como havia se comprometido durante audiência com a presença de representantes do Ministério Público do Estado do Pará e da Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil. A Monte Cristo disse que vai recorrer dentro do prazo que encerra hoje.

A nova proposta de João Batista é uma fusão das empresas que hoje operam no transporte coletivo do município com autorizações precárias. Feita a fusão, os ônibus em melhores condições seriam padronizados com as cores e brasão da bandeira de Santarém.

"Nós levamos a proposta para os empresários e apenas um até o momento ainda não entrou. A proposta é que seja uma só empresa e que todos os ônibus sejam padronizados e possam atender toda população de forma mais acessível", destacou o advogado da Monte Cristo, Valério Gonçalves.

João Batista destacou que essa é uma alternativa mais viável, pois vai integralizar 90% das cotas da empresa para o empresariado local, para que seja possível implantar o transporte urbano em Santarém com ônibus seminovos, a princípio.

De acordo com Valério Gonçalves, houve uma dificuldade para comprar ônibus e para cumprir as fases do contrato de concessão, porque as duas empresas que tentaram entrar em sociedade com João Batista não cumpriram o combinado. Assim também como fez o empresário Márcio Lassance que não comprovou a compra dos ônibus chineses.

"As pessoas não tinham um compromisso com a cidade, para elas era muito fácil sair e deixar por conta da Monte Cristo que é uma empresa local. E mais uma vez o senhor João está buscando solucionar o problema do transporte público em Santarém. E para comprar ônibus é difícil, porque as fábricas não têm ônibus nas prateleiras. Então nós queremos padronizar os ônibus seminovos que as empresas já possuem e depois pretendemos realizar o pedido de ônibus novos para as fábricas", disse o advogado.

Um novo cronograma de implantação seria apresentado à Secretaria Municipal de Mobilidade e Transporte (SMT) com data para entrada em funcionamento da bilhetagem eletrônica e de um terminal de integração. A ideia é que no futuro os ônibus não tenham mais cobrador.

"Já existem propostas com empresas sobre os aplicativos de acessibilidade, de bilhetagem eletrônica e para construção de terminal de integração. Além de projetos de empregabilidade e socioeducativos", ressaltou Gonçalves.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE