Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Mulher grávida é vítima de feminicídio em Oriximiná; suspeito ainda tentou matar o cunhado

Crime aconteceu na manhã desta terça-feira 11 , no bairro Santa Luzia, em frente ao Conselho Tutelar.

 
 -   /
/ /

Uma mulher que estava grávida foi vítima de feminicídio na manhã desta terça-feira (11), no bairro Santa Luzia, em Oriximiná, oeste do Pará. Luana Silva da Conceição, 31 anos, foi morta a facadas pelo ex-marido João Sávio, conhecido como Jango.

Luana havia ido na companhia de um irmão de 17 anos, ao Conselho Tutelar de Oriximiná para tratar sobre a guarda de uma filha que tem com João, quando estava no local aguardando o atendimento, foi abordada pelo ex-marido que estava armado de uma faca do tipo peixeira. Houve discussão e quando outras pessoas que estavam no local viram "Jango" esfaqueando a mulher e também o ex-cunhado que tentava defender a irmã das agressões.

Mesmo ferida, Luana conseguiu correr e tentou entrar em algumas residências para pedir socorro até avistar um salão às proximidades da sede do Conselho Tutelar. Jango a seguiu e dentro do salão ele pegou uma tesoura que também foi usada para ferir Luana.

Faca e tesoura usadas pelo suspeito no crime de vitimou Luana Silva — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal Faca e tesoura usadas pelo suspeito no crime de vitimou Luana Silva — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal

Faca e tesoura usadas pelo suspeito no crime de vitimou Luana Silva — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal

A polícia foi acionada e quando o delegado William Fonseca chegou ao local com sua equipe a Polícia Militar já havia detido "Jango". O suspeito estava transtornado e precisou ser algemado.

"Estávamos na delegacia quando cidadãos vieram aflitos informar que um cidadão estava esfaqueando a companheira em frente à sede do Conselho Tutelar. Imediatamente fomos pra lá e quando chegamos a Polícia Militar já havia feito à detenção do suspeito. Ele estava todo ensanguentado, jogou fora um dos objetos usados no crime, uma tesoura. Fomos até à escola e de lá recolhemos a tesoura, e no local onde o corpo foi encontrado fizemos buscas e encontramos uma faca tipo peixeira", contou William Fonseca.

Ainda segundo o delegado, testemunhas relataram que tentaram intervir, mas ficaram com medo porque o suspeito estava armado.

Delegado William Fonseca preside inquérito que apura feminicídio praticado por João Sávio, o Jango — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal Delegado William Fonseca preside inquérito que apura feminicídio praticado por João Sávio, o Jango — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal

Delegado William Fonseca preside inquérito que apura feminicídio praticado por João Sávio, o Jango — Foto: Márcio Garcia/Arquivo pessoal

A motivação do crime, segundo as primeiras informações repassadas pelo suspeito à polícia foi o término do relacionamento do casal. A vítima estava grávida, eles estavam separados há algum tempo, e ele desconfiava que o filho que ela esperada não era dele.

"Pouco tempo atrás ele levou a filha do casal para uma comunidade do interior sem o consentimento da mãe, e foi isso que a fez procurar o Conselho Tutelar em busca de um solução quanto à guarda da criança. É um crime de feminicídio. Ele já estava com a faca, mas alegou que estava com o instrumento para se proteger dos irmãos. O suspeito também tentou matar um irmão da vítima, que está em estado grave no hospital", contou delegado Fonseca.

Luana ainda estava respirando quando a equipe da Polícia Civil chegou ao local. Como a ambulância do Samu estava demorando a chegar, a vítima foi levada na viatura policial do Hospital Municipal de Oriximiná, mas não resistiu à gravidade dos ferimentos.

*Com informações de Márcia Garcia, de Oriximiná

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE