Variedades

Variedades

Fechar
PUBLICIDADE

Variedades

Fran, neto de Gilberto Gil, fala de 1º disco solo e de preparação para turnê em família com Preta e avô

É como se a gente tivesse pegando os nossos almoços de domingo e transformando em uma coisa séria, em trabalho , diz Francisco Gil ao G1. Raiz , estreia solo, tem axé e sons africanos.

 
 -   /
/ /

Fran é o nome artístico que Francisco Gil decidiu usar ao sair em carreira solo. É assim que as pessoas o chamam e que ele se identifica.

O filho de Preta Gil e Otávio Muller, e neto de Gilberto Gil, trabalhou quase todo 2019 em seu primeiro disco solo, lançado neste mês. Antes, tocou nas bandas Sinara, Niara e o Gilsons, formado com um tio e um primo.

"Raiz" é o nome do álbum e o tema central das nove músicas. O assunto surgiu depois de uma conversa com Russo Passapusso, do Baiana System, na casa do seu avô na virada do ano.

"Eu estava tocando quando ele chegou. Depois ficamos conversando justamente sobre ancestralidade e acabamos escrevendo a canção 'Raiz'", diz Fran ao G1.

"Foi o ponto de partida para todo o projeto. Quando a canção nasceu, eu joguei todas as canções que eu já tinha no armário e fiz tudo partindo daquele ponto."

Por isso, o disco tem muito do axé de Salvador e dos ritmos africanos. "Também estou falando de Caetano Veloso e Gilberto Gil, que estão no disco."

O clipe de "Raiz" e os demais, que serão lançados nas próximas semanas, foram gravados na África. Fran passou um mês viajando e gravando com o diretor Pedro Alvarenga, seu parceiro na direção do clipe de "Não Esqueço", parceria com Pabllo Vittar.

A música foi lançada pelo projeto Niara, que Francisco tinha com o produtor português Nuno Tavares e Alvarenga, em 2018.

Acabamento pop

Os quatro artistas mais ouvidos no ano passado por ele foram o rapper americano Anderson Paak, Gilberto Gil, o americano Daniel Caesar e o Baiana System.

"Foi uma viagem de introspecção e casou com o momento de um aprofundamento dessa questão espiritual, mas a sonoridade em si vem muito das minhas referências mesmo", conta, ao ser perguntado sobre como criou seu primeiro trabalho solo.

  • MAURO FERREIRA: Neto de Gilberto Gil, Fran soa leve em álbum solo em que revolve com frescor a raiz baiana do avô

O trabalho com os produtores Pablo Bispo, Ruxell e o Sérgio Santos durou 15 dias de imersão. O quarteto criou mais de 20 músicas, segundo Fran. “Junto com eles eu estava em casa. O Sérgio Santos é um grande amigo de muitos anos e fez parte de todos os trabalhos que eu já fiz musicalmente."

“Várias Queixas”, single de outro projeto de Fran, os Gilsons, também foi produzida por Santos. Com o tio José e o primo João, eles gravaram uma nova versão da música do Olodum e lançaram EP no final de 2019.

Davi Moraes, Pedro Baby, Mestrinho, Pretinho da Serrinha estão entre os músicos que participaram das gravações. Para Francisco, são "figuras importantes na trajetória musical".

'Benção' do avô

Fran — Foto: Divulgação Fran — Foto: Divulgação

Fran — Foto: Divulgação

A primeira coisa que Fran fez ao receber a primeira versão do disco foram ir ao terreiro pedir permissão aos orixás. E depois? "A segunda coisa foi levar para o meu avô ouvir, para ele me dizer o que achava. Quase como uma benção mesmo."

Ele conta que rolou um certo nervosismo. “A gente sempre tem muito receio de mostrar as coisas para ele, porque é aquela figura que por mais que seja avô, ele continua sendo uma entidade musical para a gente”.

O cantor explica melhor essa apreensão: "É o meu avô, mas é uma figura central da nossa cultura, da nossa música, então é um momento especial na hora que você vai mostrar para ele. Ele é realmente um guru musical para mim, é a minha referência maior mesmo."

Capa do álbum 'Raiz', de Fran — Foto: Divulgação Capa do álbum 'Raiz', de Fran — Foto: Divulgação

Capa do álbum 'Raiz', de Fran — Foto: Divulgação

No fim, foi um momento “mágico” e funcionou até para que o avô conhecesse mais o neto. Eles cantam juntos a última faixa do disco "Afro futurista".

Avô que ama tudo?

Gil não costuma bater palma pra tudo. "A hora que você mostra para ele uma coisa, você vai ter uma resposta sincera. Geralmente o ato de mostrar uma coisa para ele é um ato que transmite confiança e verdade em relação ao trabalho. Ele é o cara que fala mesmo", explica Fran.

Sobre o contato no dia a dia com Gil, ele diz que funciona melhor no olho no olho. "Ele até está no grupo de Whatsapp da família, mas é aquele cara que só lê."

Além do avô, Fran convidou a filha, Sol de Maria, de 4 anos, para participar de "Leve Axé". "Se ela vai seguir o caminho da música eu não sei, mas ela já é artista", conta o pai, todo orgulhoso.

Sol de Maria é a filha de Fran com a modelo Laura Fernandez  — Foto: Reprodução/Instagram/LauraFernandez Sol de Maria é a filha de Fran com a modelo Laura Fernandez  — Foto: Reprodução/Instagram/LauraFernandez

Sol de Maria é a filha de Fran com a modelo Laura Fernandez — Foto: Reprodução/Instagram/LauraFernandez

Turnê em família

O ano tem tudo para ser agitado para Fran. Além do carreira solo, ele vai continuar com o trio Gilsons. A banda formada com o primo João e o tio José vai sair em turnê a partir de julho.

O cantor diz que quando o patriarca viu Caetano Veloso com os filhos no palco sentiu que deveria fazer algo parecido.

"Ele tem se aberto de um tempo para cá para essa coisa da família. O show do Caetano influenciou muito ele a se abrir com isso", explica, ao se referir ao “Ofertório”, disco e turnê de Caetano com os filhos Tom, Moreno e Zeca.

Preta Gil compartilhou foto da família Gil no Natal de 2019 — Foto: Reprodução/Instagram/PretaGil Preta Gil compartilhou foto da família Gil no Natal de 2019 — Foto: Reprodução/Instagram/PretaGil

Preta Gil compartilhou foto da família Gil no Natal de 2019 — Foto: Reprodução/Instagram/PretaGil

"Essa coisa da força da família tocou, e é uma coisa que transpassa, que transcende o musical." E brinca com o tamanho do palco que vai ser preciso, dado o tamanho da família.

"Vai ser uma loucura, porque é muita gente que canta, muita gente que toca e a gente vai formar uma banda mesmo."

“É como se a gente tivesse pegando os nossos almoços de domingo e transformando em uma coisa séria, em trabalho."

O encontro no Natal do ano passado já serviu como primeiro ensaio para esse show. Nas rodas que rolaram, ele já sugeriu “Back in Bahia”, mas já sabe quem é que pilota esse navio. "Ele é o capitão, o camisa 10, o faixa", diz, rindo ao falar do avô.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE