Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

MARANGUAPE CE : Município em situação de alerta para mosquito Aedes aegypti

Ao todo, no ano passado, as autoridades de saúde locais registraram 123 casos de dengue, seis casos de chikungunya e apenas um para zika

 
 -   /
/ /
ÁUDIOTEXTO PARA RÁDIOO município de Maranguape apresentou, em 2019, um Índice de Infestação Predial que deixou o município em estado de alerta para surto das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Ao todo, no ano passado, as autoridades de saúde locais registraram 123 casos de dengue, seis casos de chikungunya e apenas um para zika – todos confirmados. Notificados, foram 450 de dengue, 200 de chikungunya e um de zika. Um aumento significativo em relação a 2018, quando foram apenas 10 casos confirmados de dengue, seis de chikungunya e nenhum de zika. 

Diretor de Vigilância a Saúde de Maranguape, Valderi Andrade explica que houve aumento nos números de casos na cidade devido à introdução do sorotipo 2. Aponta ainda o acúmulo de água em reservatórios para enfrentar o período de seca. A partir desses fatores, os agentes de controle de endemias criam estratégias para combater o mosquito. 

“O controle existe, a rotina de visitação, os municípios de combate às endemias, fazendo a educação a saúde, o trabalho mecânico, o trabalho químico e o controle biológico com o peixe betta, capturado por uma dupla de agentes de controle de endemias em lagos que têm aqui no município. Então, a Secretaria Municipal de Saúde captura, faz quarentena para a descontaminação e coloca em lugares para o morador manter esse peixe, já que se alimenta das larvas”.

O controle biológico com peixe betta deve ser executado somente pela Secretaria Municipal de Saúde, com peixes específicos e que não devem ser capturados na natureza. Não devem ser utilizados em recipientes com água para abastecimento humano, como caixas d’água. 

A equipe de saúde e os agentes de controle de endemias estão em alerta para os exames laboratoriais, que confirmam qual das três doenças transmitidas pelo mosquito a pessoa pode ter contraído. Valderi conta que houve um caso de dengue que levou a óbito em 2019 no município. 
Maranguape iniciou 2019 com o primeiro Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti, LIRAa, em 2%. Realizado no período de chuva, o segundo teve um aumento de 3,3%. O último caiu para 1,6%.

A supervisora do Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Secretária de Saúde do Ceará, Sarah Mendes, acredita que a população pode realizar o trabalho junto com os profissionais da área para diminuir os riscos. 

A atividade que a população pode nos ajudar é conhecer a sua casa: o que está armazenando água? No caso do Ceará, é bem específico em relação à seca e ao fornecimento de água regular. Buscar o serviço de saúde quando tiver alguma denúncia em um terreno baldio que tenha possíveis reservatórios”. 

Em todo o estado do Ceará, a dengue destacou-se no fim do ano passado com os maiores registros de casos do tipo 2 notificados e confirmados. Ao todo, foram 15 mil casos da doença confirmados, segundo a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa).

Nesta semana, a Sesa deve realizar encontro, em Fortaleza, com gestores municipais para debater ações no enfrentamento ao mosquito. Além do cenário epidemiológico atual, será tratado o apoio dos municípios nas ações de prevenção e antecipação à possível situação de risco em relação às doenças.

Lembre-se de que você é responsável pela sua casa. Portanto, fiscalize possíveis criadouros, como ralos, pneus, garrafas, vasos de flores e caixas d’água. Caso queira denunciar algum terreno abandonado ou focos do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya entrem em contato pelo número do disque denúncia da vigilância ambiental: (85) 3369-9129. Repetindo: (85) 3369-9129. 

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes. 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE