Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Manifestantes protestam contra falta de transparência no processo de privatização do Mercado de São Brás

No início de novembro, a prefeitura informou que o mercado será privatizado por um período de 30 anos com o objetivo de transformar o local em um centro de atividades e de serviços.

 
 -   /
/ /

Trabalhadores, políticos e representantes de movimentos sociais se reuniram para protestar nesta segunda-feira (2) contra falta de transparência do poder público no processo de privatização do Mercado de São Brás, em Belém. A manifestação ganhou o apoio de moradores da área e frequentadores do mercado. Cerca de 500 pessoas trabalham no complexo e serão diretamente afetadas pela medida.

No início de novembro, a Prefeitura de Belém informou que o mercado será privatizado por um período de 30 anos. O objetivo, segundo a prefeitura, é transformar um local em um centro de atividades e de serviços da cidade. Funcionários do espaço declararam que as medidas estão sendo tomadas sem a participação deles.

Enquanto o projeto não é efetivado, o espaço enfrenta péssimas condições em sua estrutura. Infiltrações, fiação elétrica precária, janelas e portas caindo aos pedaços e calçadas cheias de buracos são algumas das problemáticas que usuários do espaço enfrentam diariamente.

Mercado de São Brás, em Belém, é referência cultural na capital do Estado. — Foto: Igor Mota/O Liberal Mercado de São Brás, em Belém, é referência cultural na capital do Estado. — Foto: Igor Mota/O Liberal

Mercado de São Brás, em Belém, é referência cultural na capital do Estado. — Foto: Igor Mota/O Liberal

A manifestação pacífica foi marcada por um abraço simbólico ao redor do mercado. De mãos dadas, dezenas de pessoas pediram mais atenção ao prédio que é tombado como patrimônio histórico e recusavam a ideia de privatizar o espaço.

Em nota, a prefeitura de Belém disse que um aviso prévio de licitação foi publicado no Diário Oficial do dia 4 de novembro e que o edital está sendo encaminhado para publicação, mas que antes será aberto o prazo para consulta pública pelo site da prefeitura com data a ser definida. A prefeitura informou ainda que vem mantendo total diálogo com os trabalhadores do mercado por meio de reuniões conjuntas e segmentadas.

O município declarou que vem disponibilizando todas as informações sobre as reuniões ao Ministério Público Estadual (MPPA). Por fim, a prefeitura ressaltou que uma das condições previstas para o empreendimento é a de permanência e integração dos licenciados para atuar no espaço com qualificação e aperfeiçoamento deles.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE