Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Campanha '''Dezembro Vermelho''' vai distribuir mais de 1 milhão de preservativos no Pará

A campanha deste ano da Sespa é voltada ao público jovem, entre 15 e 29 anos, com ênfase na importância do uso do preservativo nas relações sexuais.

 
 -   /
/ /

A campanha "Dezembro Vermelho" vai distribuir 1 milhão de preservativos masculinos, 40 mil preservativos femininos e 40 mil sachês de gel lubrificante em todo o Pará. A campanha deste ano da Secretaria de Estado de Saúde do Pará (Sespa) é voltada ao público jovem, entre 15 e 29 anos, com ênfase na importância do uso do preservativo nas relações sexuais.

No último domingo (1º), uma ação na Praça da República realizou testagens gratuitas para HIV, sífilis e hepatites B e C, em alusão ao Dia Mundial de Luta contra a Aids. A atividade iniciou as mobilizações da campanha.

A proposta da campanha é ir além de dezembro, e manter o alerta de prevenção, independentemente da ocorrência de mobilizações e períodos comemorativos, como Carnaval e férias de julho.

“São informados na campanha os principais sintomas das infecções, de acordo com cada caso. É Importante dizer que as ISTs aumentam em até 18 vezes a chance de a pessoa ser infectada pelo HIV e têm impacto direto na saúde reprodutiva e infantil, pois podem provocar infertilidade e complicações na gravidez e no parto, além de causar morte fetal e agravos na saúde da criança”, explica a coordenadora de IST/Aids da Sespa, Andréa Miranda.

De acordo com o protocolo mantido pelo Ministério da Saúde, a pessoa que passou por uma situação de risco, como ter feito sexo desprotegido ou compartilhado seringas, deve fazer o teste para detecção do HIV. O diagnóstico é feito a partir da coleta de sangue ou por fluido oral.

Diagnóstico e tratamento

No Pará, dependendo da rede de articulação do município, a pessoa pode fazer o teste gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em um dos 80 Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs) e em 27 Serviços de Assistência Especializada (SAE) em HIV/Aids, que são vinculados às Secretarias Municipais de Saúde. Os exames podem ser feitos de forma anônima.

Nesses centros, além da coleta e da execução dos testes, há um processo de aconselhamento ao usuário, para garantir uma interpretação correta do resultado.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE