Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Vicente Cecim lança, em versão bilíngue, livro premiado nesta quarta-feira, em Belém

Livro recebeu o Grande Prêmio da Crítica da Associação dos Críticos de Arte de São Paulo, em 1988, com o título ''A noite do Curau''.

 
 -   /
/ /

O escritor paraense Vicente Franz Cecim realiza na próxima quarta-feira (4), às 18h30, o lançamento do livro bilíngue “Os jardins e a noite/Les jardins et la nuit” (português/francês), na sede da Aliança Francesa de Belém. A entrada é gratuita e aberta a todos os públicos. A programação terá ainda a roda de conversa “AmazoOnia Imaginal - 'Viagem a Andara: Transformando a Floresta Natural em Floresta de Palavras”.

Com 100 páginas, a publicação teve lançamento Feira Internacional do Livro, no Palais de Tokyo, em Paris, em abril deste ano. O livro recebeu o Grande Prêmio da Crítica da Associação dos Críticos de Arte de São Paulo, em 1988, e a Menção Especial no Prêmio Internacional Plural, no México, em 1981, conquistada com o título "A noite do Curau". Com duas capas, a edição é uma iniciativa das editoras Hedra, de São Paulo, e No Book, de Madrid.

 Autor faz o lançamento do livro bilíngue “Os jardins e a noite/Les jardins et la nuit”  — Foto: Yasmim Baia/Aliança Francesa de Belém  Autor faz o lançamento do livro bilíngue “Os jardins e a noite/Les jardins et la nuit”  — Foto: Yasmim Baia/Aliança Francesa de Belém

Autor faz o lançamento do livro bilíngue “Os jardins e a noite/Les jardins et la nuit” — Foto: Yasmim Baia/Aliança Francesa de Belém

A narrativa apresenta uma Amazônia dos sonhos, onde um cego escuta as histórias fantásticas que o vento traz de longe, de outros lugares, de outras pessoas, em uma escrita com livre estrutura narrativa, não linear, mas fragmentada. O autor explica que esta característica pode ser definida como um récit – com a história central do livro, a história do cego, sendo constantemente entrecortada pelas outras histórias que vêm a ele no vento, a partir do questionamento de “como esse homem ficou cego?”.

"Ele foi cegado pelo pássaro Curau, que achou na porta de sua casa, um dia. Mas para ele, ter sido cegado pelo pássaro não foi um mal, e sim um grande bem. E desde então o cego agradece ao pássaro, que depois de tê-lo cegado desapareceu nos céus – porque, graças a ele, na escuridão de sua cegueira, ele pode ver mais – e ver coisas que, antes, quando tinha olhos, não via”, explica Vicente Franz Cecim.

Um trecho do livro é bem esclarecedor, exatamente suas últimas palavras: "- Vem Curau. Vem levar os homens para os teus jardins" – é a oração do cego, solitário, sempre em sua janela, sempre ouvindo as vozes do vento - e o livro Os jardins e a noite se encerra com a sua oração.

O livro “Os jardins e a noite” integra o ciclo literário “Viagem a Andara oO livro invisível” mas pode ser lido como livro independente, como os outros livros do ciclo de Andara. Por isso, o autor fará um diálogo com o público sobre a temática de sua obra. Andara é a Amazônia vista com olhos mágicos, e segundo o autor toda a sua obra é essa Viagem a esse lugar, Andara. O ciclo tem 20 livros e foi iniciado há 40 anos.

"Andara é coisa que viaja por dentro e no sentido inverso: quer retornar dos dedos dos pés ao calcanhar de aquiles do homem, ali onde ele é mais sensível à hipótese onírica e lúdica e naturalmente sagrada da vida”, diz.

Serviço

Lançamento do livro “Os jardins e a noite/Les jardins et la nuit”, de Vicente Franz Cecim, na quarta-feira, 4, às 18h30, na Aliança Francesa de Belém (Travessa Rui Barbosa, 1851, Batista Campos). Entrada gratuita.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE