Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Moradores do bairro Aldeia vão à Câmara denunciar transtornos provocados por obras da Prefeitura

São obras da estação elevatória que está sendo implantada no bairro. Seminfra garantiu que vai ao local verificar as demandas.

 
 -   /
/ /

As obras para implantação de uma estação elevatória no bairro Aldeia em Santarém, no oeste do Pará, estão causando transtornos a moradores da rua Assis de Vasconcelos, que levaram os problemas à Câmara Municipal de Santarém nesta quinta-feira (12), em busca de uma solução.

Participaram da reunião com os moradores, vereadores, o secretário de Infraestrutura Daniel Simões, representantes do Trabalho Técnico Social (TTS) e profissionais da Carmona Cabrera, empresa responsável pela execução das obras.

De acordo com os moradores, as obras causam barulho ensurdecedor provocado pelo grupo gerador e fumaça que gera problemas respiratórios. Além disso, em algumas casas foram identificadas rachaduras.

Ao G1 e TV Tapajós o secretário Daniel Simões disse que o grupo gerador está instalado porque não existia a viabilidade da energia para fazer o rebaixamento do lençol freático. O grupo gerador está lá para alimentar as bombas, fazer esse rebaixamento e executar a estação elevatória.

“Tudo isso a gente já vai estar discutindo na secretaria. Vamos encaminhar um pedido à Celpa para ver se tem como atender com energia elétrica, se tiver a gente já tira o grupo gerador. Se não tiver, vamos fazer o isolamento acústico do gerador, tentar colocar ele na avenida Tapajós ou em outro lugar que seja próximo da obra, mas não tão próximo das residências para baixar o barulho”, disse Daniel.

Ainda de acordo com o secretário, a Seminfra está trabalhando com a previsão de concluir os trabalhos em 45 dias.

“A nossa previsão é que em 45 dias se termine esse imbróglio, essa obra lá na Assis de Vasconcelos. Vamos correr com a obra, não de forma irresponsável, mas que essa perturbação durante a obra se encerre logo para que as pessoas voltem a ter o ritmo normal”.

Quando a estação elevatória estiver pronta, a água que o morador usa para tomar banho, lavar louça, lavar roupa, e etc., que antes era jogada diretamente nas canaletas a céu aberto, bem como as fossas sépticas, serão agora despejadas diretamente na rede subterrânea de esgoto. Essa rede será ligada ao coletor tronco, instalado na Avenida Tapajós e será toda direcionada, através da linha de recalque, até à Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), que fica localizada na Avenida Borges Leal, no bairro do Mapiri, onde todo esse esgoto será tratado.

Moradores apresentaram cartazes — Foto: Sandro Vaughan/TV Tapajós Moradores apresentaram cartazes — Foto: Sandro Vaughan/TV Tapajós

Moradores apresentaram cartazes — Foto: Sandro Vaughan/TV Tapajós

Reparos

Sobre as rachaduras relatadas pelos moradores, uma equipe vai ao local para observar as demandas e em caso de danos, os moradores terão o reparo necessário nas residências.

“Algumas pessoas reclamaram de fissuras nas suas casas, proveniente da escavação. A secretaria já marcou uma reunião, uma visita nas casas, vamos lá fazer os laudos. Se tiver algum problema causado pela obra, claro que as pessoas precisam ter esse reparo. A secretaria está a disposição para esses esclarecimentos sobre a obra”, observou o secretário de Infraestrutura.

Morador da Assis de Vasconcelos, Raimundo Menezes informou que os moradores também não querem que seja retirado o jardim do local.

“Não somos contra a obra. Vamos aguardar a resposta do que solicitamos a eles. Não estamos contentes, porque estamos sofrendo com as consequências, mas essa reunião já aliviou mais um pouco a nossa tensão”, pontuou.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE