Variedades

Variedades

Fechar
PUBLICIDADE

Variedades

Ponte aérea do funk: Criador do ritmo 150 bpm no Rio, DJ Polyvox monta produtora no centro de SP

DJ do Rio pioneiro do ritmo louco assinou contrato com Kondzilla em SP. Ele vai se dividir entre as duas cidades e fará produções e cursos de funk 150 em casa na região do Baixo Augusta.

 
 -   /
/ /

O DJ Polyvox, pioneiro do funk 150bpm, vertente acelerada que surgiu no Rio e é hoje a mais popular no estilo no Brasil, assinou contrato com a Kondzilla Records em SP, e está montando uma produtora musical em uma casa na região do Baixo Augusta, no centro da capital paulista.

O G1 visitou a casa, com obras em finalização, e falou com Polyvox. O plano dele é se dividir entre as cidades: de segunda a quinta fica em SP, trabalhando nas produções musicais, e no fim de semana vai a o Rio para tocar na Nova Holanda, sua comunidade, e outros bailes cariocas.

Acelera o funk, SP

"Resolvemos fazer um escritório em SP para expandir o ritmo", ele diz. "Aqui vai estar a equipe do Polyvox. Vai ter estúdio, vamos receber MCs e fazer cursos para DJs produzirem o 150 certo."

O DJ foi o criador da vertente 150bpm (número de batidas por minuto, maior do que a média do estilo). Ele diz que já promove estes cursos no Rio, e agora quer ensinar o "ritmo louco" a paulistas.

  • Saiba mais: Visto como 'reviravolta' no Rio, funk 150 bpm amplia território. Por que ele é diferente?

Polyvox assinou contrato para entrar no elenco da Kondzilla Records, braço fonográfico da produtora paulista conhecida por clipes de funk. O DJ não revelou os primeiros trabalhos na nova fase, mas o G1 apurou que há produções encaminhadas com Kevinho e Kekel, colegas de Kondzilla.

Fachada visada

A casa a duas quadras da Rua Augusta está sendo montada em parceria com Fábio Lima, DJ e dono de casas noturnas em SP e no Rio. Fábio conta que a placa "150 BPM Records" na fachada já atrai cantores que batem na porta e deixam bilhetes querendo gravar lá.

"Está sendo extraordinário. Estou aprendendo muito, e chance de fazer parte da empresa Kondzilla me faz ficar com a cabeça mais aberta. Mostra que a favela venceu sim, que a favela tem um potencial de chegar no mercado", diz Polyvox.

O nome de batismo de Polyvox é Diogo Lima. O músico de 28 anos nasceu em Jacobina, no interior da Bahia, e foi criado na Nova Holanda, comunidade na Zona Norte do Rio.

Ritmo ainda mais louco no Rio

Enquanto ajuda a acelerar o funk de SP, Polyvox já convive com o ritmo com ainda mais BPMs no Rio.

"O 150 ficou sólido na parte comercial. Mas dentro das comunidades as tribos já está acelerando, já chega a 175 nos bailes do Rio", ele conta. "150 é a marca que dá o ponto inicial, mas tem a tendência sempre a evoluir. Como o Kevin o Chris canta: 'Evoluiu...'", ele cita o hit do colega.

O DJ Polyvox, criador da batida de 150 bpm, na Nova Holanda, no Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/Facebook/Polyvox O DJ Polyvox, criador da batida de 150 bpm, na Nova Holanda, no Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/Facebook/Polyvox

O DJ Polyvox, criador da batida de 150 bpm, na Nova Holanda, no Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/Facebook/Polyvox

Ponte Rio-SP no funk

O movimento de Polyvox acontece em um período de alta nas parcerias entre cantores e DJs de funk do Rio e de SP. Esta ponte foi tema do programa G1 Ouviu no início de agosto, que comentou dois lançamentos que misturam cariocas e paulistas. Veja vídeo abaixo.

Funk do Rio e SP se unem para ganhar o mundo, Katy Perry séria e Slipknot vai aos extremos

Funk do Rio e SP se unem para ganhar o mundo, Katy Perry séria e Slipknot vai aos extremos

Pioneiro da nova onda

O G1 já contou a história do funk 150 e de como Polyvox foi o criador da nova batida.

"Na sala da minha casa, meu filho estava batendo em uma garrafa de Coca-Cola. Achei interessante aquele som e coloquei em 150 bpm", ele contou. O DJ RD, amigo de Polyvox, achou "uma doideira" na primeira vez que ouviu. Saiba mais no vídeo abaixo:

O que é o funk 150 bpm?

O que é o funk 150 bpm?

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE