Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Israel barra visita de duas deputadas dos EUA após pedido de Trump

Duas parlamentares do Partido Democrata estavam com viagem marcada, mas Israel decidiu proibir a visita.

 
 -   /
/ /

O governo de Israel decidiu, nesta quinta-feira (15) proibir a visita de duas deputadas norte-americanas que planejam fazer uma visita ao país.

Ilhan Omar e Rashida Tlaib são do Partido Democrata, que faz oposição a Donald Trump. A primeira é muçulmana, e a segunda é filha de pais que emigraram da Cisjordânia para os Estados Unidos.

As duas pretendiam visitar Israel na semana que vem, mas foram proibidas de entrar no país.

"A decisão foi tomada, a decisão é não permitir que elas entrem", disse o ministro das Relações Exteriores de Isral, Tzipi Hotovely.

De acordo com o jornal inglês “The Guardian”, o embaixador de Israel nos EUA, Ron Dermer, havia dito, no mês passado, que elas não seriam barradas.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pressiona os israelenses para que eles recusem a visita das duas parlamentares.

“Seria uma exibição de fraqueza se Israel permitir a visita das deputadas Omar e Tlaib. Elas odeiam Israel e todo o povo judeu, e não há nada que possa ser dito ou feito para mudar a cabeça delas”, escreveu Trump em uma rede social.

Já havia rumores, na semana passada, de que Trump estava pressionando Netanyahu, de Israel, a negar a entrada das duas parlamentares.

Deputadas iam para três cidades na Cisjordânia

As duas planejavam chegar a Israel no domingo para conhecer a Cisjordânia. Elas seriam acompanhadas por um parlamentar da Palestina, Hanan Ashrawi.

A ideia era ir a três cidades, e também à Jerusalem para visitar uma mesquita que fica em um lugar disputado.

Tlaib também tinha planos para visitar sua família na Cisjordânia.

Primeiro-ministro explica a proibição

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse em uma rede social que a proibição tem como intuito prevenir que as duas prejudiquem Israel.

“Não há país no mundo que respeita mais os EUA e o Congresso americano. No entanto, o itinerário mostrava que o único intuito das parlamentares era prejudicar Israel.”

Netanyahu disse também que se Tlaib, a deputada que tem ascendência palestina, protocolar um pedido para visita a família na Cisjordânia com base em motivos humanitários, Israel levaria em consideração, desde que ela prometesse não promover um boicote contra o país.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE