Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Em meio a disputas comerciais, Trump e Xi devem se reunir em junho

De acordo com informações de conselheiro da Casa Branca, os líderes podem se encontrar nos bastidores do encontro do G20, que acontece no Japão.

 
 -   /
/ /

O assessor econômico do presidente dos Estados Unidos, Larry Kudlow, afirmou neste domingo (12) que existe "uma forte possibilidade" de que Donald Trump e o presidente da China, Xi Jinping, se encontrem nos bastidores do próximo encontro do G20, que acontece no mês que vem no Japão.

Kudlow, em entrevista ao canal "Fox News", esclareceu hoje que "não há planos concretos e definitivos" para a retomada do diálogo, embora o Governo chinês tenha convidado o encarregado de comércio exterior dos EUA, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, a visitar Pequim.

O presidente dos EUA, Donald Trump (à direita na mesa), e o presidente da China, Xi Jinping (à esquerda), juntamente com as delegações dos dois países, durante jantar após a cúpula do G20 em Buenos Aires — Foto: Kevin Lamarque/Reuters O presidente dos EUA, Donald Trump (à direita na mesa), e o presidente da China, Xi Jinping (à esquerda), juntamente com as delegações dos dois países, durante jantar após a cúpula do G20 em Buenos Aires — Foto: Kevin Lamarque/Reuters

O presidente dos EUA, Donald Trump (à direita na mesa), e o presidente da China, Xi Jinping (à esquerda), juntamente com as delegações dos dois países, durante jantar após a cúpula do G20 em Buenos Aires — Foto: Kevin Lamarque/Reuters

As disputas comerciais entre os dois países deve ser um dos principais pontos da discussão.

Kudlow também afirmou que espera que a China faça alguma retaliação ao aumento de tarifas que os EUA impuseram ao país na última sexta-feira (10). Os EUA subiram de 10% para 25% as tarifas sobre produtos chineses importados avaliados em US$ 200 bilhões, uma medida que Pequim ameaçou responder de maneira proporcional.

O assessor afirmou que espera a retaliação chinesa com imposição de novas tarifas. "Talvez vamos saber mais sobre isso ainda hoje à noite ou amanhã", disse.

Na sexta-feira, Lighthizer, e o chefe negociador da China, o vice-primeiro-ministro Liu He, se reuniram em Washington para tentar chegar a uma solução para as tensões, mas a reunião acabou sem acordo, embora com a promessa de um futuro encontro.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE