Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Na Sexta-feira Santa, Papa lamenta que migrantes encontrem portas fechadas por '''corações blindados em cálculos políticos'''

Em oração da Via Sacra realizada no Coliseu, Francisco associou o sofrimento de Jesus Cristo ao dos migrantes de hoje.

 
 -   /
/ /

O Papa Francisco lamentou nesta Sexta-Feira Santa (19) que os migrantes que fogem de países em conflito encontrem "as portas fechadas pelo medo e os corações blindados em cálculos políticos", durante sua oração na celebração da Via Sacra, em frente ao Coliseu de Roma. A Via Sacra é uma tradicional devoção dos cristãos que recorda os últimos momentos da vida de Jesus Cristo.

Associando o sofrimento de Cristo ao dos migrantes de hoje, Francisco lamentou que famílias sejam "destruídas pela traição, pelas seduções do demônio", pelo egoísmo, a cobiça e o poder.

O pontífice citou como cruzes do mundo o fato de haver "pessoas famintas de pão e de amor" ou "abandonadas inclusive pelos próprios filhos e parentes", além de "pessoas que não têm o consolo da fé".

  • Papa Francisco celebra Sexta-Feira Santa no Vaticano

O papa também lamentou outras situações e injustiças e falou sobre "idosos que se arrastam sob o peso dos anos e da solidão", e crianças "feridas na sua inocência e na sua pureza".

Público assiste à procissão de Via Sacra conduzida pelo Papa Francisco no Coliseu de Roma, na sexta (19) — Foto: Reuters/Yara Nardi Público assiste à procissão de Via Sacra conduzida pelo Papa Francisco no Coliseu de Roma, na sexta (19) — Foto: Reuters/Yara Nardi

Público assiste à procissão de Via Sacra conduzida pelo Papa Francisco no Coliseu de Roma, na sexta (19) — Foto: Reuters/Yara Nardi

Francisco criticou, ainda, "a humanidade que vaga na escuridão da incerteza e na escuridão da cultura do momento" e que haja pessoas que sejam rechaçadas e marginalizadas.

Em sua oração pessoal, o papa também mencionou os fiéis que, tendo fé e "tentando viver de acordo (com a palavra de Deus), são marginalizados e deixados de lado inclusive por parentes e seus companheiros".

Por fim, apontou para as fraquezas dos seres humanos, a hipocrisia, as traições, os pecados e as promessas quebradas.

"Senhor Jesus, reviva em nós a esperança na ressurreição e na sua vitória definitiva contra todo o mal e toda morte", concluiu.

Com a mensagem, o papa pôs fim ao rito da Via Sacra, realizada todos os anos na noite da Sexta-feira da Paixão aos pés do Coliseu romano, símbolo da perseguição e do sofrimento dos primeiros cristãos. O evento faz parte das preparações para o Domingo de Páscoa, em que os cristãos celebram a ressurreição de Cristo.

Embora o Papa tenha presidido a cerimônia e pronunciado a oração final, quem redigiu as meditações deste ano foi a freira italiana Eugenia Bonetti, missionária da Consolata e conhecida por ter dedicado a vida a lutar contra o tráfico humano.

  • Francisco lava pés de presidiários em ritual de Quinta-feira Santa
  • Rejeitar gays é não ter coração humano, diz Papa

Papa Francisco preside a celebração da Via Sacra no Coliseu de Roma, na sexta-feira (19) — Foto: Reuters/Remo Casilli Papa Francisco preside a celebração da Via Sacra no Coliseu de Roma, na sexta-feira (19) — Foto: Reuters/Remo Casilli

Papa Francisco preside a celebração da Via Sacra no Coliseu de Roma, na sexta-feira (19) — Foto: Reuters/Remo Casilli

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE