Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

LUCAS DO RIO VERDE - Mulher é agredida durante reunião em Centro de Educação Infantil

 

Uma mulher de 34 anos precisou ser encaminhada para o PAM (Pronto Atendimento Municipal) nesta quinta-feira (14) após ser agredida por outra mulher durante reunião realizada na Escola Municipal Aquarela, no bairro Parque das Américas, em Lucas do Rio Verde.

Segundo informações da Polícia Militar, a mulher foi ferida com uma chave de chave de carro e e teve um corte no supercílio. A agressora fugiu durante a confusão gerada com a agressão.

 Ainda conforme a PM, ambas têm uma rixa antiga. A agredida é casada com o ex-marido da agressora. 

Nas redes sociais circularam fotos e vídeos da confusão. Nas mensagens de grupos de WhatsApp as informações são de que houve facadas e até tiros, fatos que foram desmentidos pela PM.

NOTA DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO

A direção do Centro de Educação Infantil Aquarela estava dando andamento à assembleia  com a participação de muitos pais quando uma mãe, que tem um dos filhos matriculado na escola, agrediu outra mãe com um objeto - tudo indica que foi uma chave de moto. Pela informação que temos a motivação foi de cunho pessoal.

Na confusão que se seguiu, a queda de uma cadeira foi confundida com tiro e isso gerou pânico em algumas mães, muita correria com as crianças e mães que passaram mal e precisaram ser levadas para atendimento médico.

Evidentemente, que o recente fato ocorrido na escola de Suzano, SP, e sua grande repercussão, teve reflexos na reação de muitas pessoas presentes na assembleia e que ainda não tinham ideia do que estava acontecendo.

A secretária de Educação, Cleusa De Marco, esteve na CEI Aquarela na manhã de hoje para se solidarizar e conversar com a gestão, professores, monitores e pais que estavam levando seus filhos.

Lamentavelmente, o fato, que, tem todas as características de uma ocorrência policial, teve como cenário a escola e isso obrigará a Secretaria de Educação e a Gestão Escolar a tomar algumas medidas urgentes para reduzir os efeitos do caso e evitar que algo semelhante volte a ocorrer.

Entre as medidas, haverá reforço da segurança interna, será avaliada qual a melhor atitude em relação à mãe agressora, visando garantir a integridade da comunidade escolar.

Além disso, será prestado apoio aos pais, crianças e profissionais da escola por meio de profissionais da área de saúde, com acompanhamento pontual para reduzir a possibilidade de resquícios traumáticos.

A Secretaria de Educação e Gestão Escolar esclarecem que foi um fato isolado e imprevisível, que não teve como motivação qualquer assunto relacionado com a escola.

Mas de toda forma a Secretaria está fornecendo todo o suporte necessário.

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE