Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Arquipélago ártico russo sofre invasão de ursos polares

Aquecimento global derrete gelo do Polo Norte, forçando ursos a passarem mais tempo em terra, onde competem pela comida. Animais invadem prédios e perseguem habitantes em localidade de 3 mil habitantes.

 
 -   head  meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec
head meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec

O arquipélago ártico russo de Novaya Zemlya declarou neste sábado (9) estado de emergência devido a uma invasão por dezenas de ursos polares agressivos, atacando residências e prédios públicos. O local com população de cerca de 3 mil habitantes pediu ajuda para enfrentar uma "invasão em massa de ursos polares em áreas habitadas".

Até o momento as autoridades russas negaram permissão para atirar nos animais, porém estão enviando uma comissão para avaliar a situação, e não descartaram a realização de abates. Eles são considerados espécie ameaçada na Rússia, sendo proibido caçá-los.

Em consequência do aquecimento global, o gelo do Polo Norte está derretendo, forçando os ursos a passarem mais tempo em terra, onde competem pela comida.

Moscou mantém soldados da Força Aérea e da Defesa Aérea em Novaya Zemlya. Desde dezembro, 52 ursos polares têm visitado regularmente o assentamento principal do arquipélago, Belushya Guba, com alguns apresentando "comportamento agressivo".

Segundo a autoridade local Alexander Minayev, este inclui "ataques aos moradores e adentrar casas e prédios públicos". "Há constantemente entre seis e dez ursos dentro do assentamento. As pessoas estão assustadas, estão com medo de sair de casa, os pais têm medo de deixar as crianças irem para as escolas e jardins-de-infância."

O chefe da administração da localidade no nordeste russo, Zhigansha Musin, afirma que os números de ursos são sem precedente. "Estou em Novaya Zemlya desde 1983, e nunca houve uma invasão em massa assim." Os animais estão constantemente dentro da guarnição militar e "literalmente correm atrás das pessoas", além de se instalar nas entradas dos blocos de apartamentos.

As medidas para espantá-los, como patrulhas com carros e cães não têm surtido efeito, pois os animais se sentem seguros e não mais reagem. Segundo as autoridades regionais de Arkhangelsk, a que o arquipélago está submetido, se tudo mais falhar "atirar nos animais pode ser a única medida forçada possível".

Em janeiro, o alto funcionário do Ministério da Defesa anunciou que centenas de prédios militares em desuso haviam sido demolidos em Novaya Zemlya, pois ursos polares estavam se instalando em seu interior.

Arquipélago tem invasão de ursos polares — Foto: Infografia: Karina Almeida/G1 Arquipélago tem invasão de ursos polares — Foto: Infografia: Karina Almeida/G1

Arquipélago tem invasão de ursos polares — Foto: Infografia: Karina Almeida/G1

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE