Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Trump promete mudanças em vistos para imigrantes altamente qualificados

Mudanças trariam simplicidade e a possibilidade de esses trabalhadores se tornarem cidadãos norte-americanos.

 
 -   head  meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec
head meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (11) que planeja mudanças nos vistos H-1B, que são concedidos temporariamente a imigrantes altamente qualificados para que possam trabalhar em ocupações especiais.

As mudanças trariam simplicidade e a possibilidade de esses trabalhadores se tornarem cidadãos norte-americanos.

"Detentores do H1-B nos Estados Unidos podem ter certeza de que as mudanças estão chegando, o que trará simplicidade e certeza para a sua estadia, incluindo um caminho potencial para a cidadania. Queremos incentivar pessoas talentosas e altamente qualificadas a buscar opções de carreira nos EUA", disse Trump em um tuíte no início da manhã.

O republicano Trump e os democratas no Congresso estão em um impasse que provoca a paralisação parcial do governo federal. O presidente americano se nega a aprovar o orçamento até que ele consiga 5,6 bilhões de dólares para construir um muro ao longo da fronteira com o México com o objetivo de impedir a imigração ilegal. Nesta sexta, o “shutdown", como é chamada a paralisação parcial, completa 21 dias.

Ao mesmo tempo que costuma chamar imigrantes sem documentos e requerentes de asilo que tentam entrar no país através do México de criminosos e terroristas, Trump frequentemente elogia aqueles que solicitam vistos H-1B, que devem ter um grau de bacharel ou superior.

A concorrência é grande para obtenção desses vistos temporários. Em 2018, os Estados Unidos atingiram o limite do número de vistos H-1B que poderiam emitir, 65 mil, na primeira semana de abril, de acordo com o Departamento de Segurança Interna.

Em outubro, Trump disse que quer abolir por meio de uma ordem executiva o direito à cidadania concedido a todos os que nascem no território dos Estados Unidos. Porém, como esse direito é definido por uma emenda constitucional, o presidente não conseguiria alterar a atual regra, semelhante à existente em outros países da América como Brasil, Canadá e México.

Sem declarar emergência

Mais tarde, Trump disse que não vai declarar uma emergência nacional por ora como forma de encerrar uma paralisação parcial do governo e garantir recursos para um muro na fronteira, afirmando que prefere que o Congresso dos EUA aja.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE