Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

POLÍTICA

Selma critica presidente do STF e diz que derrubar voto aberto contribuí para corrupção

 
A senadora diplomada, Selma Arruda (PSL), usou suas redes sociais para criticar a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, que derrubou o voto aberto na eleição para presidente do Senado Federal.

Em dezembro do ano passado, o ministro do STF, Marco Aurélio Mello, determinou que a votação para eleição da Mesa Diretora do Senado, marcada para o início de fevereiro, fosse aberta. Porém, o Senado ingressou com Recurso, requerendo que a decisão fosse derrubada.

Nessa quarta-feira (09.01), ao derrubar a decisão de Marco Aurélio, Dias Toffoli apontou que a votação para Presidência do Senado é questão interna e deve ser definida pelos senadores e que uma decisão individual não pode alterar o modelo de eleição sem que o caso seja discutido no plenário do Supremo Tribunal Federal.

Ao comentar a decisão do presidente da Suprema Corte, a juíza aposentada, Selma Arruda, afirmou que o STF errou ao derrubar o voto aberto e jogou contra os interesses da população.

“Voto de agente público eleito pelo povo deve ser aberto. A Constituição Federal é clara ao determinar que a administração pública deve ser transparente. Voto aberto é sinônimo de transparência e de prestação de contas do detentor de mandato político para com seus eleitores. Isso é primordial”, disse a senadora diplomada em sua publicação.

Além disso, ela disse que o voto secreto pode contribuir para “negociatas”.

“Já qualquer ato secreto é ambiente propício para negociatas ilícitas, nos moldes do que sempre aconteceu no Brasil. Vou lutar muito para mudar essa triste realidade, a partir da mudança na legislação”, finalizou Selma.


VG Notícias

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Cidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE