Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Procuradores federais dos EUA pedem prisão para Michael Cohen, ex-advogado de Trump

Ele admitiu ser culpado de pagar atriz pornô para manter silêncio sobre suposto caso com Trump e de ter evadido divisas. Seus advogados haviam pedido para que não recebese pena de prisão.

 
 -   head  meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec
head meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec

Procuradores federais em Manhattan pediram a um juiz nesta sexta-feira (7) que condene Michael Cohen, ex-advogado pessoal do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a um "período substancial na prisão" por ter pago a atriz pornô Stormy Daniels e a ex-modelo da "Playboy" Karen Mcdougal para manterem silêncio sobre supostos relacionamentos com Trump e por evasão de divisas.

Cohen, que está cooperando com a investigação do procurador especial Robert Mueller sobre a possível colaboração entre a Rússia e a campanha da eleição de 2016 de Trump, se declarou culpado das acusações em agosto.

Ele se declarou culpado também na semana passada de uma acusação separada feita pelo gabinete de Mueller de que ele teria mentido ao Congresso sobre discussões relacionadas à construção de um edifício das organizações Trump em Moscou.

Stormy Daniels durante uma cerimônia em sua homenagem em West Hollywood, na Califórnia, em 23 de maio — Foto: Reuters/Mike Blake/File Photo Stormy Daniels durante uma cerimônia em sua homenagem em West Hollywood, na Califórnia, em 23 de maio — Foto: Reuters/Mike Blake/File Photo

Stormy Daniels durante uma cerimônia em sua homenagem em West Hollywood, na Califórnia, em 23 de maio — Foto: Reuters/Mike Blake/File Photo

Em um pedido separado na sexta-feira, o gabinete de Mueller disse que Cohen deveria cumprir qualquer condenação imposta por esse crime simultaneamente com a sentença imposta pelas acusações de Nova York, dizendo que ele havia "tomado ações significativas para ajudar a investigação do procurador especial".

Os procuradores de Nova York disseram em documento que Cohen deveria receber créditos por sua colaboração com Mueller, mas apontaram que ele não havia feito um acordo de cooperação com a procuradoria nova-iorquina. Eles disseram que a condenação deveria refletir uma "modesta" redução dos quatro a cinco anos que as diretrizes federais sugeriam.

Cohen deve ser sentenciado na próxima quarta-feira pelo juiz distrital William Pauley em Manhattan por todas as acusações pelas quais ele se declarou culpado. Seus advogados pediram que ele não recebesse pena de prisão, dizendo que ele já havia cooperado extensamente com Mueller e com os procuradores de Nova York, tomando responsabilidade por suas ações.

Trump, que chama a investigação de Mueller de uma "caça às bruxas" e negou repetidas vezes qualquer conduta errônea, disse no início da semana que Cohen havia mentido sobre os acordos das empresas de Trump na Rússia para reduzir seu tempo de prisão.

O então candidato a presidente dos EUA, Donald Trump, e seu advogado Michael Cohen, durante evento de campanha em Cleveland Heights, Ohio, no dia 21 de setembro de 2016 — Foto: Reuters/Jonathan Ernst O então candidato a presidente dos EUA, Donald Trump, e seu advogado Michael Cohen, durante evento de campanha em Cleveland Heights, Ohio, no dia 21 de setembro de 2016 — Foto: Reuters/Jonathan Ernst

O então candidato a presidente dos EUA, Donald Trump, e seu advogado Michael Cohen, durante evento de campanha em Cleveland Heights, Ohio, no dia 21 de setembro de 2016 — Foto: Reuters/Jonathan Ernst

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE