Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Trump diz que Arizona se prepara para chegada de enorme onda de imigrantes

Dois grupos de famílias de Honduras e da Guatemala, totalizando 124 imigrantes, foram detidos na região após passar para o território norte-americano no Arizona.

 
 -   head  meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec
head meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse na quinta-feira (7), sem apresentar provas, que o Estado do Arizona "está se preparando para um aumento enorme" de imigrantes ao longo da fronteira com o México - em uma área em que não tem cerca de proteção. Ele reiterou seu apelo para que os democratas apoiem o financiamento do muro que propôs erguer na divisa.

"O Arizona, juntamente com nossos militares e a patrulha de fronteira, está se preparando para uma chegada em massa de [imigrantes] em uma área sem muro. Não os deixaremos passar. Grande perigo", escreveu Trump no Twitter.

Representantes da Casa Branca, do Departamento de Segurança Interna e do Pentágono não responderam de imediato a pedidos de comentário. Não ficou claro se Trump tinha um grupo específico de imigrantes em mente.

Na quarta-feira (5), a agência de Alfândega e Proteção de Fronteira dos EUA disse que os agentes de fronteira do Arizona apreenderam dois grupos de famílias de Honduras e da Guatemala, um total de 124 imigrantes que tinham cruzado para o território norte-americano.

Com suas declarações, Trump parece manter a pressão para que os parlamentares aprovem uma legislação para manter o governo em funcionamento até 30 de setembro do ano que vem.

Na quinta-feira, o Congresso aprovou um projeto de lei de gastos provisórios de uma quinzena, mas os parlamentares ainda precisam acertar uma medida de financiamento de longo prazo para subsidiar agências do governo até o fim do ano fiscal (setembro).

Trump, que fez da construção do muro um fundamento de sua presidência, exigiu 5 bilhões de dólares do Congresso neste ano para a divisa e ameaçou paralisar o governo se os parlamentares não consentirem.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE