Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Rússia rejeita acusações dos EUA sobre descumprimento de tratado nuclear

Governo russo diz que não há provas para as acusações e que verdadeiro objetivo é a retirada americana do tratado. EUA deram 60 dias para que a Rússia volte a cumprir tratado.

 
 -   head  meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec
head meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec

A Rússia denunciou, nesta quarta-feira (5), as acusações "sem fundamento" dos Estados Unidos, que afirmam que Moscou violou o Tratado INF sobre os mísseis nucleares de médio alcance firmado entre ambos os países em 1987.

"Reiteram acusações sem fundamento", declarou a porta-voz do Ministério russo das Relações Exteriores, Maria Zakharova.

"Não se apresentou qualquer prova das acusações americanas", acrescentou Zakharova, que considerou que o tratado INF é um "ponto-chave da estabilidade e da segurança estratégica internacional".

Já o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, declarou aos jornalistas que "distorceram os fatos para camuflar o verdadeiro objetivo da retirada americana desse tratado".

Ultimato

Na terça-feira, Washington deu à Rússia um prazo de 60 dias para que cumpra "plenamente" o tratado e ameaçou desrespeitá-lo em caso contrário.

O secretário geral da OTAN, Jens Stoltenberg, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e os ministros de Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu; Romênia, Teodor-Viorel Melescanu; Polônia, Jacek Czaputowicz e Noruega, Ine Marie Eriksen Soreide, posam para foto na sede da OTAN, em Bruxelas, na terça-feira (4)  — Foto: Reuters/Yves Herman O secretário geral da OTAN, Jens Stoltenberg, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e os ministros de Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu; Romênia, Teodor-Viorel Melescanu; Polônia, Jacek Czaputowicz e Noruega, Ine Marie Eriksen Soreide, posam para foto na sede da OTAN, em Bruxelas, na terça-feira (4)  — Foto: Reuters/Yves Herman

O secretário geral da OTAN, Jens Stoltenberg, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e os ministros de Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu; Romênia, Teodor-Viorel Melescanu; Polônia, Jacek Czaputowicz e Noruega, Ine Marie Eriksen Soreide, posam para foto na sede da OTAN, em Bruxelas, na terça-feira (4) — Foto: Reuters/Yves Herman

"Os Estados Unidos declaram hoje que a Rússia violou substancialmente o tratado, e suspenderemos nossas obrigações (...) em 60 dias, a menos que a Rússia volte a cumpri-lo plenamente e de forma verificável", afirmou o secretário de Estado americano, Mike Pompeo.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) adotou uma declaração, acusando Moscou de ter violado o tratado e de pôr a segurança euroatlântica em risco.

"A Rússia tem, agora, uma última oportunidade de voltar a cumprir o tratado INF, mas também devemos começar a nos preparar para um mundo sem o tratado", disse o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, em entrevista coletiva ao fim da reunião.

O prazo de 60 dias corresponde à próxima reunião de ministros da Defesa da Otan, prevista para 14 e 15 de fevereiro.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE