Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

POLÍTICA

Taques gasta R$ 4,7 milhões na busca a reeleição, mas arrecada só R$ 2,5 mi

 
 -
A derrota do governador Pedro Taques (PSDB) em sua tentativa de se reeleger por mais quatro anos custou o montante de R$ 4.750.938,66, uma média de R$ 105 mil ao dia. As informações referentes aos gatos de campanha dos candidatos ao Governo foram disponibilizadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta quarta-feira (7) e podem ser consultadas no portal do DivulgaCand do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

No ranking de custos, o maior gasto de Pedro Taques foi com a empresa MT360 Consultoria e Comunicação LTDA, contratada para produzir programas de rádio, televisão ou vídeo, que recebeu da campanha do governador o valor de R$ 250 mil. O primeiro pagamento, na ordem de R$ 100 mil, ocorreu no dia 23 de agosto e o segundo no valor de R$ 150 mil, pagos no dia 3 de setembro.

Em 2º lugar, com gastos de R$ 230 mil, está a empresa Monkey Filmes Eireli, que firmou contrato com o candidato captar e editar imagens. Na prestação de contas, quatro notas fiscais foram apresentadas pelo governador: no dia 22 de agosto, dois pagamentos foram feitos à empresa, que somaram R$ 120 mil; a terceira nota, emitida no dia 31 de agosto, apresentou o valor de R$ 100 mil; por fim, no dia 10 de setembro, a empresa recebeu ainda o valor de R$ 10 mil.

O 3º maior gasto do governador foi com a produção de banners, adesivos e lonas. No total, a empresa Speed Label Rótulos Adesivos e Mídia Eireli abocanhou o total de R$ 162.604,00. Ao todo, 17 notas fiscais foram apresentadas à Justiça Eleitoral pela equipe financeira de Taques.

Em 4º lugar está a empresa Opinião Assessoria e Consultoria Contábil LTDA, que recebeu o montante de R$ 150 mil. A empresa foi contratada para prestar serviços contábeis à campanha de Taques. O montante foi pago em duas vezes, sendo o primeiro pagamento no valor de R$ 50 mil, no dia 22 de agosto, e o segundo repasse no valor de R$ 100 mil, pagos no dia 31 de agosto.

O 5º maior gasto do governador em sua tentativa fracassada de continuar à frente do Governo foi com a empresa Abelha Taxi Aéreo e Manutenção LTDA, contratada para transportar o governador pelo Estado durante o período de campanha. No total, a empresa recebeu da candidatura o valor de R$ 142.091,00, por meio de sete pagamentos.

Além dos pagamentos descritos, a equipe financeira do governador ainda apresentou outros 196 pagamentos realizados durante a campanha. Esta quantidade, porém, não significa o repasse individualizado a cada fornecedor, isso porque, assim como nos exemplos acima, algumas empresas receberam mais de uma vez.

O valor gasto pelo governador, porém, não representa nem a metade do valor máximo permitido pela Justiça Eleitoral. Para esta campanha, cada candidato ao Governo do Estado de Mato Grosso poderia gastar no máximo R$ 5,6 milhões. Os gastos de Taques representaram apenas 33,76% do teto permitido.

Pedro Taques foi eleito governador do Estado em 2014. Este ano, ao tentar a reeleição, mesmo com a máquina pública nas mãos, acabou por ficar na 3ª colocação, recebendo 271.952 votos, ou 19% dos votos válidos. Aliás, o governador ficou atrás até mesmo dos votos brancos e nulos que, juntos, somaram 325.854.

RECEITAS

Ao todo, o tucano arrecadou R$ 2.548.075,00 na campanha deste ano. Ou seja, ele terminou sua corrida a reeleição com um déficit acima de R$ 2,2 milhões.

A principal receita do tucano na campanha deste ano veio do diretório nacional do PSDB, que contribuiu com R$ 1,5 milhão. Já entre os doadores individuais, destacam-se Orlando Polato, com R$ 200 mil, Carlos Ernesto Augustin, com R$ 100 mil, e Ademir Rostirolla, com R$ 75 mil.

Entre as personalidades, aparece na lista de doadores de Taques o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Marino Franz, que contribuiu com R$ 20 mil.


Folha Max

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Cidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE