Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Jeff Sessions deixa cargo de procurador-geral dos Estados Unidos

Segundo a imprensa norte-americana, ele atendeu a pedido do presidente Donald Trump.

 
 -   head  meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec
head meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec

O procurador-geral dos Estados Unidos – e, portanto, chefe do Departamento de Justiça –, Jeff Sessions, deixou o cargo na tarde desta quarta-feira (7). A saída foi anunciada pelo presidente norte-americano, Donald Trump, pelo Twitter. Ele será temporariamente substituído por Matthew G. Whitaker, então chefe de gabinete de Sessions.

Também pelo Twitter, Trump agredeceu Sessions pelo trabalho. Segundo o presidente, o nome definitivo será anunciado em "uma data futura".

De acordo com a Reuters e com o "New York Times", Sessions afirmou em carta que saiu do cargo a pedido do presidente Trump. A agência também informou que, na carta de demissão, o agora ex-procurador disse ter "trabalhado para implementar uma agenda de cumprimento a lei" apoiada pelo próprio presidente.

Caso Rússia

Em março do ano passado, Sessions – considerado um dos homens fortes do mandato Trump – deixou a investigação sobre o suposto conluio do presidente com a Rússia durante a campanha presidencial de 2016. Ele se declarou impedido após acusações de ter participado de reuniões com russos.

Na ocasião, Sessions afirmou que nunca se reuniu com autoridades russas para falar sobre a campanha do presidente. Disse que se reuniu com o embaixador russo em setembro, mas para discutir terrorismo e a situação na Ucrânia.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE