Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Mohammed Dewji, bilionário africano, volta para casa após ser solto por sequestradores

O CEO do conglomerado familiar do Grupo METL foi capturado quando chegava para um treino matinal na capital comercial da Tanzânia na última semana.

 
 -   head  meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec
head meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec

Mohammed Dewji, o bilionário mais jovem da África, sequestrado há uma semana na rua em frente a um hotel de luxo na Tanzânia, voltou para casa ileso após ser libertado por seus sequestradores, informou a polícia neste sábado (20).

Mohammed, 43 anos, CEO do conglomerado familiar do Grupo METL, foi capturado quando chegava para um treino matinal na capital comercial da Tanzânia, Dar es Salaam, na semana passada. A Forbes estima seu patrimônio líquido em US$ 1,5 bilhão, tornando-o o 17º homem mais rico da África e o bilionário mais jovem.

Lazaro Mambosasa, comandante da polícia de Dar es Salaam, disse à Reuters que Dewji foi abandonado por seus sequestradores na área de Gymkhana, às 2:30 da manhã, horário local.

A família de Dewji ofereceu uma recompensa de 1 bilhão de xelins na Tanzânia (US$ 440 mil) por informações que levaram à sua libertação, embora não tenha ficado claro o quanto os sequestradores exigiram.

Dewji foi mantido em uma casa em uma área onde a polícia estava prestes a realizar uma busca de porta em porta, disse ele.

"Ele tinha as pernas e mãos amarrados e o rosto tampado, portanto, não podia ver. Ele não pôde identificar os sequestradores durante todo o período de cativeiro", disse Mambosasa. Ele tinha apenas hematomas nas mãos e pés onde estavam amarrados.

"Ele nos disse que eles o trataram muito bem e lhe deram comida", acrescentou.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE