Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Erasmo Carlos traz show de poemas musicados pra Belém, nesta quarta

''O arquiteto arquiteta. O pedreiro constrói coisas. O advogado advoga causas. Eu sei fazer músicas, eu faço músicas'', diz. Cantor falas sobre os 53 anos de carreira e o desafio de se manter atuante na produção musical brasileira.

 
 -   head  meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec
head meta charset 'utf-8 link rel 'preconnect' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'dns-prefetch' href 'https://cocoon.globo.com link rel 'prec

"É o que eu sei fazer. Eu tô vivo, tenho que compor", declara Erasmo Carlos, que chega a Belém nesta quarta-feira (10) para apresentar o show '...Amor é isso'. O G1 conversou com o cantor sobre os 53 anos de carreira e o desafio de se manter atuante na produção musical brasileira.

O Tremendão recebe nesta terça-feira (9) a premiação da União Brasileira de Compositores (UBC) pra confirmar que é de compor que ele gosta. "O arquiteto arquiteta. O pedreiro constrói coisas. O advogado advoga causas. Eu sei fazer músicas, eu faço músicas", diz.

"O arquiteto arquiteta. O pedreiro constrói coisas. O advogado advoga causas. Eu sei fazer músicas, eu faço músicas", diz.

Depois de uma trilogia em que o rock'n roll era o foco principal, Erasmo dedica seu novo álbum ao gênero canção. “...Amor é isso”, é 31º trabalho do cantor e compositor carioca. Em 12 faixas inéditas, Erasmo abre parcerias com Emicida, Dadi Carvalho, Adriana Calcanhotto, Samuel Rosa e até Tim Maia. Além de retomar o trabalho com Arnaldo Antunes e Marisa Monte.

"Sempre que a gente tem que fazer um trabalho a gente se inspira em alguma coisa. E essa inspiração atual minha veio do amor como conceito. Aquele amor maior que encampa, que cabe sempre, que abraça todos os outros amores. Que é elástico, infinito. Pelos pais, pelos parentes, pelo vizinho, pelo patrão, pelo empregado, pelos filhos, pela natureza, pelos objetos. Esse amorzão que encampa todos", comenta.

O album surgiu da seleção de 111 poemas que Erasmo escreveu pra a esposa, Fernanda. "Pela primeira vez na minha vida eu fiz o processo inverso. Eu musiquei poemas já feitos. Eu sempre fazia primeiro a música e depois a letra. Dessa vez, não. Eu musiquei poemas. Então eu chamei amigos meus que lidam com isso, que sabem bastante sobre isso", explica Erasmo.

O desafio resultou em canções lindas e romanticas, fruto de composições próprias e também parcerias de sucesso. "Foi uma coisa nova pra mim. Pode não ser novo pra outras pessoas, mas pra mim é novo e eu fico todo empolgado, todo maravilhado comigo mesmo de ter vencido essa nova etapa", conclue.

Belém

Erasmo esteve em Belém há cerca de um ano e garante que volta mais uma vez para compartilhar amor. "O que eu espero do público aí é o que eu sempre tive, que é amor. O que sei dar e o que recebo em todos os lugares que vou. Me considero um cara muito querido. Graças a minhas músicas. Agradeço a Deus, não peço mais nada, só agradeço", revela.

O cantor já esteve algumas vezes na capital paraense. "Conheço e gosto muito da cidade. As mangas são o que mais me encantam. A primeira vez que fui em Belém as pessoas falavam ‘cuidado, vocês tropeçam em manga, a manga cai na cabeça’, aquelas brincadeiras. Mas são coisas que marcam a cidade e a gente jamais esquece", comenta.

A busca pelo novo

Capa do álbum '...Amor é isso', de Erasmo Carlos — Foto: Divulgação / Som Livre Capa do álbum '...Amor é isso', de Erasmo Carlos — Foto: Divulgação / Som Livre

Capa do álbum '...Amor é isso', de Erasmo Carlos — Foto: Divulgação / Som Livre

Erasmo aguarda ansioso o mês de novembro, quando ele vai para a cerimônia do Grammy Latino, em Las Vegas. O brasileiro vai receber o “Prêmio Excelência da Música da Língua Portuguesa”. Ele também está indicado na categoria melhor canção da língua portuguesa com a música "Convite Para Nascer de Novo" e melhor albúm, com "...Amor é isso".

"Eu sempre procuro estar antenado com as coisas, com as novidades. O novo me fascina. Eu estou vendo televisão, ouvindo rádio, fico sabendo das coisas, eu leio muito. Acho importante você estar sempre atuando. Quando você tem conhecimento das novidades, você se reformula, você se moderniza e fica contemporâneo".

A busca pelos novos trabalho tem feito de Erasmo o cantor atual mesmo após os grandes sucessos da jovem guarda.

"É muito fácil você se esquecer, se acomodar no passado. Eu podia perfeitamente estar vivendo jovem guarda, revival até hoje. Mas não, eu estou na ativa. Esse Grammy por exemplo é uma satisfação muito grande pq eu vou receber o prêmio pelo trabalho que já fiz, pelo reconhecimento da obra que eu já fiz, mas ao mesmo tempo eu estou concorrendo ao Grammy de hoje. Então eu estou ativo, contemporâneo. Então isso é muito bonito e importante pra mim", diz Erasmo.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Cidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE