Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Rússia acusa EUA de lançarem bombas de fósforo contra Síria; Pentágono nega

Ataques aéreos teriam visado o vilarejo de Hajin, o último grande reduto do grupo extremista Estado Islâmico na Síria.

 

As Forças Armadas da Rússia disseram neste domingo que, no sábado, dois caças F-15 norte-americanos lançaram bombas de fósforo contra a província de Deir al-Zor na Síria, segundo as agências de notícia Tass e RIA. Os Estados Unidos negaram a acusação.

Os ataques aéreos teriam visado o vilarejo de Hajin, o último grande reduto do grupo extremista Estado Islâmico na Síria, e teriam provocado incêndios, mas não houve informações sobre vítimas, afirmaram as Forças Armadas russas.

Um porta-voz do Pentágono negou que aviões norte-americanos tenham lançado bombas de fósforo.

"Até agora, não recebemos qualquer relatório de qualquer uso de fósforo branco", disse o comandante Sean Robertson. "Nenhuma das unidades militares da área se quer está equipada com munições de fósforo branco de qualquer tipo".

Grupos de direitos humanos disseram que coalizões lideradas pelos EUA contra o Estado Islâmico já usaram munições de fósforo branco durante a guerra da Síria.

As bombas podem criar densas cortinas brancas de fumaça e são utilizadas como dispositivos incendiários. Grupos de direitos humanos criticam seu uso em áreas povoadas, porque as bombas podem matar e mutilar ao queimar pessoas até os ossos.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE