Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Preso por agredir mulher, homem também será investigado por violência sexual contra a filha de 4 anos

Mulher diz que filha ficou sozinha com o pai e apresentou sangramento na genitália. Suspeito também é apontado pela Polícia Militar por falsidade ideológica.

 
 -  Preso em flagrante, homem foi encaminhado à Central de Policia, em Porto Velho  Foto: Jheniffer Núbia
Preso em flagrante, homem foi encaminhado à Central de Policia, em Porto Velho Foto: Jheniffer Núbia

Preso em flagrante por agressão à mulher, na noite desta última quinta-feira (12), em Porto Velho, um homem de 39 anos também será investigado pelo crime de violência sexual contra a filha de 4 anos. A possibilidade de que o agressor tenha abusado da criança foi levantado pela esposa, durante conversa com a Polícia Militar (PM). O homem também é suspeito de falsidade ideológica.

De acordo com registro da ocorrência, a esposa do agressor trabalha em um bar na área central de Porto Velho. A mulher havia terminado o expediente quando o marido chegou e a chamou para ir embora.

A mulher teria negado e foi agredida a socos e pontapés, sofrendo lesões nos braços. Depois da agressão, o homem saiu do local. A Polícia Militar foi acionada e, em buscas pela região, localizou e prendeu o suspeito.

Na Central de Polícia, a mulher disse que o casal tem uma filha de 4 anos e que, há alguns dias, quando retornou do trabalho, percebeu que o lençol da cama estava manchado com sangue. Ela teria questionado o marido sobre o caso e o homem teria respondido que o sangue não era de ninguém.

A mulher disse ainda que, ao verificar as partes íntimas da filha, observou que havia sangramento. Ela teria travado luta corporal com o suspeito e foi agredida com um soco no rosto, que quebrou o nariz dela.

Uma vizinha também teria visto a criança e desconfiou do estupro, contudo, a mulher afirma que não chamou a polícia porque o marido afirmou com veemência que não tinha abusado da criança.

No mesmo boletim de ocorrência, a PM registrou que o homem fez uso de vários nomes falsos para se identificar à autoridade policial.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE