Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

POLÍCIA

Polícia prende 18 acusados de traficar mais de 1 tonelada de drogas na rodovia

 
Três acusados de serem chefes do tráfico de drogas em Cuiabá foram presos pela Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE). Eles foram identificados como Carlos Alexandre Fernandes Silva, 37, Marcos Benedito Viana, 38, e Adriano Márcio de Souza, 38, conhecido como Gaúcho. Além deles o líder a quadrilha, Miqueias da Conceição Pedro, 20, também teve mandado de prisão cumprido, dentro da Penitenciária Central do Estado (PCE).

Miqueias coordenava os negócios clandestinos. A droga era comprada em Mato Grosso do Sul e trazida de carro pelas rodovias que ligam os dois estados. A associação criminosa que atuava em consórcio no tráfico foi desmantelada em uma investigação que durou apenas três meses e originou a Spot.

Dezoito pessoas foram presas e uma adolescente apreendida durante. Quarenta e dois tabletes de substância análoga à maconha foram apreendidos em um veículo no bairro Nossa Senhora Aparecida na Capital.

Dez pessoas foram autuadas em flagrante, porte ilegal de arma, com 38 munições de igual calibre, 02 balanças de precisão, R$ 10 mil em espécie, além de diversas porções de drogas.

Também foi dado cumprimento a 13 mandados de prisão preventiva 10 mandados de busca e apreensão da 13ª Vara Criminal e 14 mandados de busca e apreensão expedidos pela 9ª Vara Criminal.

Conforme o delegado titular da DRE, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, a operação desarticulou uma associação criminosa para o tráfico, que agia de forma coordenada e coesa na distribuição de entorpecentes na região metropolitana, através de transportes clandestinos de drogas, imprimindo com isso aumento significativo na criminalidade.

“Durante o período de investigação constatou-se a existência de dois grupos criminosos (células) que atuavam comercializando a droga, sendo um deles relacionado com o transporte de grandes quantidades de entorpecentes (transporte interestadual do Mato Grosso do Sul para o Mato Grosso), e outro responsável pelo tráfico doméstico / ‘formiguinha’, comércio de droga nas bocas de fumo da região metropolitana existindo uma correlação entre os dois grupos”, explicou.

O delegado adjunto Marcelo Miranda Muniz informou que uma das características da associação criminosa é o consórcio, montado com o objetivo de dividir os custos com a compra da droga e a logística do transporte, que também contava com o acompanhamento de batedores durante todo o trajeto. “Com isso realizava-se o pagamento à vista, possibilitando a entrega imediata (logística Spot)”, disse o delegado.

Ainda segundo a apuração, um dos integrantes da associação criminosa comandava a distribuição e comercialização da droga na Baixada Cuiabana, atuava do interior de um presídio da capital (PCE).

“O ponto de partida foi o recebimento de uma denúncia minuciosa que apontou vários detalhes acerca das atividades de um grande fornecedor. Ao longo do período da operação, os suspeitos movimentaram pelas rodovias mais de uma tonelada e meia de entorpecente - quantidade essa que foi integralmente apreendida pela DRE nos trabalhos de investigação”, afirma.

Para Bruzulato a operação superou as expectativas iniciais. “O resultado foi bastante positivo, além do cumprimento das ordens judiciais que permitiram a desarticulação da associação criminosa tivemos ainda 10 autuações em flagrante. Sabemos que o tráfico de drogas fomenta diversos outros crimes. E nosso objetivo é desmantela-las”.

Os presos serão encaminhados para Audiência de Custódia no período vespertino, onde ficarão à disposição do Judiciário.

Operação

A operação Spot mobilizou 150 policiais civis, lotados na DRE e em unidades da Diretoria de Atividades Especiais e em delegacias da Diretoria Metropolitana.


RDNews

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

Mais Lidas em Cidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE