Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Recém-nascida com espinha bífida passará por cirurgia para implante de válvula na cabeça

 

A bebê Maria Helena Rodrigues Coutinho, que nasceu com espinha bífida e sofria crises convulsivas desde a semana passada, passou por uma cirurgia para fechamento da medula espinhal na tarde dessa terça-feira (12) e o quadro de saúde dela, segundo os médicos, continua grave, mas estável.

A bebê encontra-se na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do Hospital Regional de Sorriso, a 420 km de Cuiabá.

Maria Helena volta ao centro cirúrgico nesta quarta-feira (13), para novo procedimento desta vez na cabeça, para implante de uma válvula devido ao diagnóstico de hidrocefalia, a fim de evitar vazamentos sobre o local da primeira operação, segundo afirmou o pai dela, Claudemir Alves Coutinho.

"Correu tudo bem na primeira cirurgia e vamos esperar, agora, a recuperação dela, para ver se as pernas irão mexer como faziam antes da cirurgia", disse o pai da bebê ao G1.

Luta por UTI

Maria Helena nasceu de cesárea no dia 26 de maio, em um hospital particular de Juína, a 737 km de Cuiabá. Assim que nasceu, foi diagnosticada com espinha bífida, mas encaminhada para casa.

No domingo (3), ela começou a passar mal e os pais a levaram para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde ela foi medicada e encaminhada para casa.

Ao perceber que o quadro de saúde da filha não melhorava, os pais voltaram a procurar assistência médica e Maria Helena foi internada no Hospital Municipal de Juína, onde foi mantida em uma incubadora, por falta de vagas em hospitais do estado.

Na quinta-feira (7), a Justiça determinou à Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) para que providencie um leito e o tratamento necessário para a paciente. A decisão foi cumprida no final da tarde de domingo (10).

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE