Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Ceará registra 1,55% de crescimento do PIB no 1º trimestre e supera índice nacional

Nos três primeiros meses do ano, PIB do Brasil cresceu 0,4%. O PIB serve para medir a evolução da economia em um determinado período.

 

O Produto Interno Bruto (PIB) cearense cresceu 1,55% no primeiro trimestre de 2018, segundo divulgou nesta segunda-feira (12) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice supera o resultado do Brasil que, no mesmo período, teve crescimento de 0,4%. O Produto Interno Bruto é a soma de todos os bens e serviços produzidos no estado/país e serve para medir a evolução da economia.

Durante bate-papo em uma rede social nesta terça-feira (13), o governador comemorou os resultados alcançados pelo Ceará nos primeiros três meses de 2018. “Fiquei muito feliz com o resultado do PIB, o Produto Interno Bruto que mede o crescimento da economia cearense. Isso significa que a economia está crescendo, gerando mais empregos e abrindo novas atividades econômicas. O Ceará tem se destacado e crescido acima do País”, ressalta.

De acordo com o Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), dentre os três setores que compõem o PIB – agropecuário, indústria e serviços -, no Ceará, o agropecuário – mesmo levando em consideração que é o que tem menor peso no cálculo - apresentou melhor resultado, seguido pela Indústria e Serviços.

Brasil

Já Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,4% no 1º trimestre de 2018, segundo o IBGE. Mas após a paralisação dos caminhoneiros – que durou 11 dias, relatório do Banco Central mostra que economistas do mercado financeiro elevaram a estimativa de inflação para 2018 e passaram a prever uma alta menor do PIB neste ano.

A previsão do mercado para a inflação em 2018 avançou de 3,65%, na semana retrasada, para 3,82% na última semana. Para o resultado do PIB em 2018, os economistas dos bancos baixaram a previsão de crescimento de 2,18% para 1,94%. Em 2016, o PIB teve uma retração de 3,5%. Em 2017, cresceu 1% e encerrou a recessão no país.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE