Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Mulher é detida após sair de hospital sem autorização e confessar que iria vender filha recém-nascida em MG

Caso ocorreu na tarde desta terça-feira 12 em Uberaba. Segundo Hospital de Clínicas, ela deixou a unidade sem receber alta e sem comunicar a equipe.

 

Uma mãe foi detida nesta terça-feira (12) após sair de um hospital de Uberaba sem receber alta e confessar que iria vender a filha recém-nascida por R$ 1 mil. A ocorrência ainda está em andamento.

De acordo com as primeiras informações da Polícia Militar (PM), a mulher deu à luz na segunda-feira (11) e fugiu do Setor de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM) nesta tarde com a criança escondida dentro de uma bolsa.

Os militares contaram que testemunhas viram a mãe saindo da unidade hospitalar com a bebê, anotaram a placa do táxi que ela entrou e acionaram a PM. Ao receber a denúncia a Polícia fez um rastreamento e instantes depois de sair do HC-UFTM a mulher foi localizada ainda com a recém-nascida dentro do veículo.

Hospital confirma fato

Em nota, o Hospital de Clínicas confirmou que a mulher deixou a unidade hospitalar por volta das 14h40, por iniciativa própria, sem receber alta e sem comunicar a equipe do hospital.

"Imediatamente, a equipe assistencial foi até o quarto da paciente (após o parto as mães ficam com o bebê e um acompanhante em quarto individual) e verificou a ausência da acompanhante e do bebê. O Hospital de Clínicas também acionou a polícia, que rastreou o táxi no qual a paciente e a acompanhante haviam evadido. Foi constatado que a acompanhante saiu por outra saída do hospital, com o bebê escondido em uma mochila",diz trecho da nota.

Após localizar a mãe em um táxi, a polícia a encaminhou junto com a filha de volta ao HC. "A mulher segue internada, pois ainda não tem condições de alta. O Conselho Tutelar foi chamado para tomar medidas relativas à guarda do recém-nascido", informou a assessoria do HC.

Polícia procura acompanhante e possíveis compradores da criança

No hospital a mãe recebia ajuda de uma acompanhante, segundo a PM essa mulher também auxiliou a fuga da mãe com a criança do hospital e entrou no táxi. No entanto, o taxista disse que ela apresentava estar muito nervosa e pediu para desembarcar antes. Ela saiu do veículo na Avenida Claricinda Alves de Rezende.

Até a publicação da matéria, os militares procuram a mulher e possíveis pessoas que iriam comprar a recém-nascida.

Mãe não poderia ter a guarda da menina

Ainda conforme a PM, o Conselho Tutelar acompanha a ocorrência e informou que após receber alta do hospital a criança precisaria ser entregue aos cuidados do comissariado de menores, pois devido uma decisão judicial impede que a guarda fique com a mulher. O G1 apura mais detalhes sobre a questão.

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE