Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Ilustração do artista Gidalti é removida de exposição em Belém e ele classifica como '''censura'''

Gidalti é o criador da novela gráfica Castanha do Pará e ganhou o Jabuti, mais importante prêmio literário do Brasil. Ilustração foi retirada sem o consentimento do artista após vários ataques de policiais militares ao desenho.

 
 -  Obra de artista é retirada de exposição  Foto: Reprodução do Facebook do artista
Obra de artista é retirada de exposição Foto: Reprodução do Facebook do artista

A ilustração da capa do livro "Castanha do Pará", do artista visual Gidalti Moura Jr., vencedor do Jabuti de melhor história em quadrinhos de 2017, foi removida, nesta segunda-feira (16), de uma exposição em um shopping localizado na Av Augusto Montenegro em Belém. O artista retratou um garoto (o menino de rua de Belém protagonista da história) escapando de um policial. Após vários ataques de policiais militares ao artista, o desenho foi removido da exposição sem o consentimento de Gidalti. Em sua rede social, o artista classificou a situação como censura.

Tudo começou quando um PM, que visitou a exposição, se sentiu “ofendido” com a imagem e postou sua indignação na internet. O post foi replicado por vários PMs. Em nota, a Polícia Militar do Pará comunicou à administração do Parque Shopping a insatisfação da tropa quanto à abordagem da imagem da atividade militar na obra.

“Em qualquer momento a instituição afirmou que o desenho incentivava o crime. A Polícia Militar ressalta a defesa da liberdade de expressão e, dessa forma, não escondeu a própria discordância à tela exposta pelo artista Gidalti Moura Jr”, diz a nota da PM.

Em sua página no Facebook, Gidalti, que ganhou com esta obra o Jabuti, mais importante prêmio literário do Brasil, declarou total repúdio “aos conceitos arbitrários que classificaram a imagem como uma ofensa à Polícia Militar”. “A retirada da obra do evento é um gesto que vai contra valores fundamentais que defendo, dentre estes, a liberdade de expressão. A obra é ficcional, tem caráter lúdico e expõe situações rotineiras nas metrópoles brasileiras. Quem a compreendeu como apologia ao crime e/ou a desmoralização da polícia militar, o faz de forma leviana e sem ao menos ler o livro ‘Castanha do Pará’”, disse.

Capa de "Castanha do Pará", de Gidalti Moura Jr  (Foto: Reprodução do Facebook do artista ) Capa de "Castanha do Pará", de Gidalti Moura Jr  (Foto: Reprodução do Facebook do artista )

Capa de "Castanha do Pará", de Gidalti Moura Jr (Foto: Reprodução do Facebook do artista )

Ainda segundo o artista, a retirada da imagem da exposição é “uma vitória parcial da ignorância, do medo e de forças antagônicas à liberdade”.

A coordenação da exposição de quadrinhos esclareceu que a decisão de retirar o desenho de Gidalti Moura Jr foi tomada em comum acordo com a curadoria do evento e que outra obra do mesmo autor será colocada na mostra.

“A mudança ocorreu diante de manifestações de frequentadores do shopping que se sentiram incomodados com a cena de violência, no espaço que é frequentado por crianças”, justificou em nota a coordenação. Frisou ainda que a atividade não foi criada pelo shopping, que o empreendimento apenas cedeu o espaço, gratuitamente, em sistema de comodato.

Em nota, o shopping disse que reafirma sua missão de incentivar as artes e dar luz ao trabalho de curadores e artistas paraenses.

Cabeça de urubu

A novela gráfica "Castanha do Pará" retrata nos traços e cores de Gidalti a vida de um jovem da periferia, criado solto entre as barracas do mercado do Ver-o-peso em Belém. A obra lançada em Belém foi produzida ao longo de três anos, que resultaram em 80 páginas de aquarela.

Gidalti nasceu em Minas Gerais, mas se identifica como belenense. "Não tenho nada de lá, exceto a certidão de nascimento. Fui pequeno para Belém e falo chiado", brinca o artista, que escolheu a capital do Pará como musa inspiradora para contar a história do garoto com cabeça de urubu - algo que é propositalmente inexplicado na história, podendo ser uma característica física ou metáfora para o seu abandono.

"Não toco no assunto. Ele simplesmente tem cabeça de urubu e ninguém estranha", explica Gidalti.

Menino tem cabeça de urubu (Foto: Divulgação / Gidalti Moura Jr.) Menino tem cabeça de urubu (Foto: Divulgação / Gidalti Moura Jr.)

Menino tem cabeça de urubu (Foto: Divulgação / Gidalti Moura Jr.)

Gidalti Moura e a novela gráfica "Castanha do Pará" (Foto: Divulgação / Fox) Gidalti Moura e a novela gráfica "Castanha do Pará" (Foto: Divulgação / Fox)

Gidalti Moura e a novela gráfica "Castanha do Pará" (Foto: Divulgação / Fox)

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do G1 Pará no (91) 98814-3326

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE